�Inovação versus trabalho precário? À iluminação dessas novas maneiras de negócios, está investigando emergir, principlamente, uma transformação da conexão empresa-trabalhador, e também empregado-comprador. O mesmo ocorre com o ‘horário de serviço’ e o ‘horário de lazer’ que prontamente não são fixos, entretanto que têm, por esse novo tipo de economia On demand (perante demanda), uma mobilidade constante.

Obviamente, a maneira de pagamento é com cartão de crédito. Não se paga em dinheiro e, então, não se paga com dinheiro, com o que não se pode qualificar de ‘economia’, da mesma forma que ao obter com cartão em um mercado. Esta nova forma emergente de serviços e transações econômicas estendendo-se a toda a velocidade e a convivência com as formas convencionais de trabalho, teoricamente, não parece zombar alterações radicais, mas sim os traz consigo. Se não tivesse sido pelas ruidosas manifestações de milhares de taxistas em algumas cidades, estaria sendo uma ‘revolução silenciosa’.

Foi o caso da Uber, o que o fez saltar os titulares dos meios e tornou-se o principal símbolo da ‘Gig Economy’. O eufemismo ‘trabalhador versátil’ em novas empresas da nova ‘Gig economy’ mostra a pessoa próximo com o seu celular, à espera de ser chamada pra fazer um trabalho pontual e esporádico. Assim dá certo o Amazon Flex, um novo tipo de trabalho de colaboração pontual da empresa Amazon em que ‘cada um’ pode ser ‘dealer esporádico’ da parcela da organização. Isso promove com a frase: “ser o teu respectivo chefe: transmitir quando quiser, como esta de tudo o que quiser”.

  • Linda Avery: agente de campo, que descobriu a Skye quando era um guri. Falecida
  • Ajude o Batman!! Eu tenho feito um corte muito delicado
  • Mais correções de erros
  • Nicolás Miranda (WMAR) (conversa) 20:02 nove jun 2014 (UTC)

Naturalmente você de utilizar o teu próprio telefone Android e também ter automóvel próprio (até que a corporação coloque em marcha o teu serviço de distribuição, com a sua equipa, que agora anunciou que está em vias de legalização nos EUA). Quase todos os aspectos relacionados com as formas de trabalho estão sendo arrastadas pela digitalização.

Em um serviço que publiquei com Gregório Martin agora há dois anos, intitulado “a Digitalização e o desaparecimento de postos de trabalho” neste momento refletiam sobre isto. Naturalmente essa transformação influencia não só o serviço e os trabalhadores, e isso acontece ao mesmo tempo e em combinação com a ‘automação’ que se desdobra em enorme escala.

aviso de Hilary Clinton é muito sério por causa de as alterações começam a mostrar-se como muito profundas. É óbvio que as organizações que têm que olhar com a ‘Economia Gig’ ou ‘On demand’ caracterizam-se por utilizar tecnologias digitais mais sofisticadas, mas o

Não em todos os casos. As economias do ‘estado de bem-estar europeu’ baseiam-se num sistema público potente de educação, saúde e pensões de reforma. E são financiados, principalmente, com os impostos do serviço e do comércio, como os 2 pilares principais.

desse modo, a regulação das atividades econômicas pra adquirir esses recursos, com apoio em impostos é fundamental. As empresas líderes da transformação digital e baseada no domínio global da Internet foi demonstrado que possuem sofisticados sistemas legais pra burlar impostos em tuas atividades globais estatalmente regulados. E há sérios problemas entre os legisladores europeus pra conseguir que, em troca de seu comércio global, paguem seus impostos correspondentes nos países europeus. Há mais factores que têm que enxergar com as outras maneiras de serviço e as ‘habilidades’ necessárias.

Categorias: Tecnologia